JESUS E AS BODAS DE CANÁ

TEMA: JESUS E AS BODAS DE CANÁ TEXTO: JO 2.1-11

 

Esse foi o primeiro milagre que Jesus realizou, dando início ao seu ministério, depois de ter passado pelo batismo e ter vencido a tentação maligna no deserto por quarenta dias.  Do local do batismo de Jesus até Caná da Galiléia, levava três dias de caminhada.

Caná, era uma aldeia situada cerca de sete quilômetros ao norte de Nazaré. Percorria-se o mesmo caminho que passava para ir à  Tiberíades e Cafarnaum.

Quem vinha de Nazaré, encontrava do lado direito da estrada, antes de entrar no povoado, uma fonte muito grande, a mesma que sem dúvida, forneceu a água que foi transformada milagrosamente em vinho.

Havia naquela região, uma campina fértil e bem cultivada, com cercas vivas, formadas por espinhosos cactos que cercavam e protegiam os campos. Diversas vinhas produziam uvas que proporcionavam a produção de excelentes vinhos.

O casamento =  vs. 1,2 E, ao terceiro dia, fizeram-se umas bodas em Caná da Galiléia; e estava ali a mãe de Jesus.  E foi também convidado Jesus e os seus discípulos para as bodas.

A informação de que Maria, mãe de Jesus, já estava na festa quando Jesus chegou indica que havia algum grau de parentesco com a família dos noivos, ou que existia uma forte amizade.  

 

I –  A FESTA QUE QUASE ACABOU

 

1 = E Jesus também foi convidado = v. 2  E foi também convidado Jesus e os seus discípulos para as bodas.

Se Jesus estiver em nossa casa, em nossa festa sempre é possível recomeçar.

2 = O Vinho (alegria) acabou = v. 3 E, faltando vinho…

Não fica claro o motivo da falta de vinho. Não podemos afirmar que os cônjuges eram pobres, ou apareceram mais pessoas do que eles convidaram ou se o planejamento foi equivocado. Certo é que acabar o vinho era o fim da festa, uma vergonha que marcaria para sempre aquele casal.  A hospitalidade para o Judeu era um dever sagrado. As bodas duravam de 3 a 7 dias e esses dias tinham que ser regado com comida e muito vinho.

 

Vinho era símbolo de alegria, satisfação.  

2 = Maria procurou a pessoa certa = Jesus = v. 3 … a mãe de Jesus lhe disse: Não têm vinho.

Maria sabia da natureza divina de Jesus e que ele poderia intervir para que aquela festa não acabasse.

3 = A resposta de Jesus mostra que existe um tempo certo para o milagre = v. 4 Disse-lhe Jesus: Mulher …

  1. a) Mulher = O vocábulo “mulher” era uma forma muito usual entre os judeus. Jesus não demonstrou nenhuma desatenção com sua mãe, quando usou o termo “mulher”.

Mt 15.28 “Ó mulher, grande é a tua fé.

Lc 13.12 Mulher, estás livre da tua enfermidade.

Jo 4.21 Mulher, crê-me que a hora vem em que nem neste monte nem Jerusalém adorareis o Pai  

Jo 19:25-26 E junto à cruz de Jesus estava sua mãe, e a irmã de sua mãe, Maria mulher de Clopas, e Maria Madalena. Ora Jesus, vendo ali sua mãe, e que o discípulo a quem ele amava estava presente, disse a sua mãe: Mulher , eis aí o teu filho.

  1. b) Que tenho eu contigo? = v. 4 … que tenho eu contigo?

Também a expressão “que tenho eu contigo”, era usada para fazer uma recusa, mais ou menos velada ou suavizada.

Jesus parece querer deixar claro que o milagre aconteceria segundo o tempo e a vontade do pai celeste e não da “mãe” terrena.

  1. c) Ainda não é chegada a minha hora = 4 … Ainda não é chegada a minha hora.

Existe um tempo para a revelação da divindade de Jesus na terra e Maria não tem como manipular, adiantar, forçar.

Mas de alguma forma Maria entendeu que Jesus ia intervir para mudar aquela situação.

Para todo propósito debaixo do céu existe um tempo .

4 = Mesmo com a resposta de Jesus, Maria orienta os garçons  para fazer o que ele mandar.  Confiança mesmo na repreensão = v. 5 Sua mãe disse aos serventes: Fazei tudo quanto ele vos disser.

Este é um conselho sábio. A plena obediência a Deus traz alegria, satisfação e transformação.

 

5 = As talhas = v. 6 E estavam ali postas seis talhas de pedra, para as purificações dos judeus, e em cada uma cabiam dois ou três almudes (metretas).

Metreta ou almude são palavras gregas, que significavam a maior capacidade de medida que existia para líquidos, na época. Como a metreta ática equivalia a uns quarenta litros, cada talha poderia conter de oitenta a cento e vinte litros. As seis juntas iam de 480 a 720 litros.   

Por causa dessas tradições, era necessária uma grande quantidade de água nos lares israelitas, e muito mais, quando havia uma festa de casamento, como a de Caná da Galiléia.

Mc 7.3   “Porque os fariseus, e todos os judeus, conservando a tradição dos antigos, não comem sem lavar as mãos muitas vezes;”

 

II CHEGOU A HORA DO MILAGRE

 

1 = Jesus não expõe a situação vergonhosa dos noivos = v. 7 Disse-lhes Jesus: Enchei de água essas talhas. E encheram-nas até em cima.

Os serventes participaram da plataforma do milagre.

2 = Jesus transforma uma situação de vergonha em honra, de escassez em abundância =  v. 8  E disse-lhes: Tirai agora, e levai ao mestre-sala. E levaram.

4 = O último vinho causou admiração = v.9  E, logo que o mestre-sala provou a água feita vinho (não sabendo de onde viera, se bem que o sabiam os serventes que tinham tirado a água), chamou o mestre-sala ao esposo…

Nas bodas judaicas, um dos convidados ficava responsável pela festa, como um mestre-de-cerimônias. Era encarregado de levar as pessoas às mesas e de cuidar do perfeito andamento do casamento. Quando ele provou do vinho que Jesus transformara da água, cuja procedência ele desconhecia, restou comprovado que se tratava do melhor vinho servido durante todos aqueles dias nas Bodas de Caná da Galiléia. Ele supôs que os recém-casados estavam querendo dar aos convidados uma alegre surpresa, servindo um excelente vinho no final das bodas de Caná da Galiléia.

Quando Jesus o faz  muito melhor daquilo que nós perdemos, o consolo dele é muito mais profundo do que o sofrimento que nos atingiu, a alegria que ele nos proporciona é muito mais profunda e duradoura  do que a que perdemos.

3 = Um milagre discreto = um milagre para a festa continuar = v. 10 E disse-lhe: Todo o homem põe primeiro o vinho bom e, quando já têm bebido bem, então o inferior; mas tu guardaste até agora o bom vinho.

Jesus não promoveu alarde, nenhum sensacionalismo.

A = A honra para o esposo = O mestre-sala não chamou Jesus, chamou o esposo. O diferencial foi o convite a Jesus. Jesus deixou a honra do melhor vinho para o dono da festa.

B = A festa vai continuar = O milagre permite que a festa continue, o milagre mantém a alegria, a satisfação a honra do esposo.

 

CONCLUSÃO: O primeiro milagre, o primeiro sinal = v. 11 Jesus principiou assim os seus sinais em Caná da Galiléia, e manifestou a sua glória; e os seus discípulos creram nele.

Os evangelhos de João contem sete milagres (sinais) escolhidos por João para revelar o senhorio de Jesus.  A pessoa de Cristo e sua obra.  

 

 

 

 

 

 

 

Comentarios

comentarios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *