Mulher-bomba do EI se explode com menino nos braços

Qual o limite entre a fé e a insanidade? Os militantes do Estado Islâmico (EI) vêm mostrando ao mundo que o que eles advogam ultrapassa todos os limites do racional.

No mesmo dia em que o governo do Iraque anunciou que o EI foi totalmente derrotado no país e não detém mais nenhuma parte de seu território, foram divulgadas imagens de um ataque recente de uma mulher-bomba.

Inicialmente mostrada ao público pela rede de televisão Al-Mawsleya, vê-se uma mãe que carregava uma criança nos braços enquanto parecia fugir de um ataque em um bairro controlado pelos extremistas do EI. Contudo, um observador atento notaria que ela tinha na outra mão um detonador de uma bomba, que causaria uma explosão pouco tempo depois.

A imagem mostra os segundos que antecederam o ataque suicida junto aos soldados iraquianos que vigiavam a evacuação segura dos civis.

Segundo foi noticiado, a mulher não identificada mantinha os explosivos debaixo das tradicionais vestes islâmicas, que são muito largas e permitem a ocultação. Sem chamar muita atenção, ela se explodiu com o menino no colo, vitimando também outras pessoas e deixando feridos vários civis, incluindo o câmera que fez as imagens.

Estima-se que cerca de 20 mulheres ligadas ao EI realizaram atentados suicidas nas últimas duas semanas em Mosul, na tentativa desesperada dos jihadistas de frear o avanço das tropas iraquianas.

O tenente iraquiano Sami al-Aridi afirmou que “As mulheres estão lutando com seus filhos ao lado do Estado Islâmico(…) Isso nos deixou indecisos sobre lançar incursões aéreas para avançar. Se não tivesse sido por isso, teríamos conseguido terminar (a operação) em apenas algumas horas”.

Mosul foi tomada pelo EI em 2014, e as operações para libertá-la começaram somente em outubro de 2016. Contudo, a parte oriental da cidade só foi totalmente libertada no dia 18 de janeiro. Desde então vinham ocorrendo combates visando reconquistar a parte ocidental, onde os jihadistas mantinham milhares de civis como reféns, matando a todos que tentavam fugir.

“Eu acredito que o EI está claramente derrotado, não só militarmente, mas também psicologicamente e propagandisticamente”, explicou Ely Karmon, pesquisador sênior do Instituto de Combater o Terrorismo no Centro Interdisciplinar de Israel. “Sabemos que que seu material de propaganda, que era bastante sofisticado, é cada vez menos divulgado. Nós não ouvimos mais os líderes do ISIS se pronunciarem em áudio ou vídeo”.

Contudo, alerta, isso pode ser um sinal de que os jihadistas estão se espalhando em meio a grupos de refugiados e provavelmente iniciarão células em diferentes países. Com informações Christian Post

 

Comentarios

comentarios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *